terça-feira, 13 de maio de 2008

"Risco imobiliário não se compara a dos EUA"

Para a Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio), o risco de uma crise de crédito imobiliário brasileiro, à semelhança do que ocorre nos Estados Unidos, "é praticamente inexistente por dois motivos: a diferença de magnitude do segmento imobiliário dos Estados Unidos e do Brasil e também o intervalo de tempo na liberação dos recursos".

A afirmação foi feita em nota oficial na última segunda-feira.

Pelas projeções da entidade, deverão ser destinados cerca de R$ 25 bilhões para o crédito imobiliário brasileiro em 2008.

Destes, R$ 20 bilhões virão do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimos (SBPE). Somente os R$ 5 bilhões restantes serão provenientes de recursos de bancos, o que equivale a 2% ou 3% do PIB nacional.

"[No Brasil], os prazos de financiamentos chegam até 360 meses, ou seja, 30 anos, com taxas fixas de juros de cerca de 9% ao ano. É um negócio inédito na economia, mas ainda há uma grande parcela da população que não foi atingida e isso cria um espaço razoável para que o mercado imobiliário, principalmente na Região Metropolitana de São Paulo, se mantenha aquecido no médio prazo", conclui a entidade.

Um comentário:

Monica Carvalho disse...

Oi amor ,seu blog está lindo!Te desejo muito sucesso,beijos.